AUSTRÁLIA: Cinco meses na terra dos cangurus


AUTOR: GERMANO MATSHUHASHI


Em meados de 2016 decidi colocar em prática um projeto de muito tempo: fazer intercâmbio. Depois de muito analisar decidi ir para Sydney, na Austrália, para estudar. No total foram cinco meses dos quais compartilho aqui com vocês um pouco da minha experiência como turista e, é claro, dicas que só os locais poderiam fornecer. Não cometa gafe: apesar de Sydney ser a maior e a mais populosa cidade do país, a capital oficial da Austrália é Canberra.

Aqui o interessante é você comprar o Opal Card logo que chegar no aeroporto. A grande sacada é que você pode usar todos os meios de transporte em Sydney utilizando apenas o cartão. Tudo fica ainda mais prático e econômico baixando o aplicativo pelo celular.

***IMPORTANTE: não esqueça de fazer o TAP ON no embarque e o TAP OFF no desembarque. Caso a fiscalização acuse irregularidades no procedimento, a multa é inevitável.

Assim que comprar o cartão, é só seguir até a estação de trem que está interligada ao aeroporto. Partindo daqui é possível chegar até a Central Station, estação por onde partem várias linhas de trem para os mais diversos lugares, tanto em Sydney quanto para outros estados.

GASTRONOMIA

Bom, o que eu tenho para dizer da culinária de Sydney é: experimente tudo. Tudo mesmo, porque aqui você vai encontrar uma variedade infindável de estilos, principalmente asiática. Arrisque os pratos chineses na China Town, as apimentadas comidas coreanas e os exóticos sabores da culinária tailandesa na Thai Town. Sem mencionar outras gastronomias também influentes como a indiana, italiana, vietnamita e, é claro, a brasileira. Agora se você procura algo no estilo australiano, escolha um final de semana para fazer um brunch na calçada ou ainda provar dos steak e burger houses espalhados pela cidade.

TURISMO

Aconselho fazer os tours por conta, à exceção dos apontados no item (5) por serem mais distantes e por exigirem mais conhecimento da área periférica de Sydney. Então vamos ao que interessa:

1. OPERA HOUSE & HARBOUR BRIDGE

Ponto de desembarque: Circular Quay Station

Opera House, símbolo internacional de Sydney e do país como um todo, chegar até aqui e não visitar esse ícone arquitetônico é imperdoável. Sem dúvida essa é a parte mais bonita da cidade. Logo que chegar à estação Circular Quay, a vista que se tem da baía de Sydney é deslumbrante. É neste ponto onde diversos meios de transporte se interligam (trem, ônibus e ferry boats) e é aqui que desembarcamos para visitar o ponto mais badalado da cidade.

Formando uma dupla com a Opera House, a famosa Harbour Bridge, onde é realizada a queima de fogos na virada do ano, exibe toda sua extensão e magnitude. Aliás toda essa área que abrange a baía de Sydney é um show à parte e, com um pouco de sorte, é possível encontrar cruzeiros que ficam atracados no porto marítimo, dando um charme especial a esse cenário maravilhoso.

Atenção aqui: por ser altamente turístico, prepare-se para pagar preços altíssimos tanto em hotéis como nos restaurantes. Afinal é aqui onde estão concentrados os hotéis e restaurantes mais luxuosos de Sydney.


Para quem tiver tempo livre, sugiro algumas extensões do passeio:

  • Royal Botanic Gardens: localizado à direita da Opera House, o parque é extremamente bonito e rico em diversas espécies de plantas e árvores

  • Free Walking Tour: junte-se ao grupo que parte deste ponto para conhecer um pouco mais da história da cidade. Informações: www.imfree.com.au

  • The Rocks: seguindo à esquerda no sentido da ponte, fica o The Rocks, o bairro mais antigo de Sydney com vários cafés, bares e lojinhas.

  • Harbour Bridge: há duas opções para quem quer conhecer a ponte de perto: a primeira é cruzar de ponta a ponta, caminhada totalmente gratuita, mas que exige fôlego. O segundo, e o mais inesquecível, é subir literalmente até o topo, onde está hasteada a bandeira da Austrália. Os preços variam de acordo com o dia e o período de visitação (A$ 200 ~ A$ 350, aproximadamente). Informações: www.bridgeclimb.com

2. SYDNEY TOWN HALL & CBD AREA

Ponto de desembarque: Town Hall Station

A estação Town Hall é a mais movimentada da cidade, justamente pelo fato de estar na área central - CBD (Central Business District) como é chamado pelos aussies. Vá com calma aqui porque a estação possui muitas saídas e passagens que interligam diversas partes dessa área comercial através do subsolo.

Saindo da estação temos a Sydney Town Hall, com sua arquitetura e seu icônico relógio, e o Queen Victoria Building (QVB), shopping instalado em um prédio antigo e dotado de um estilo elegante. Dentro do QVB, através do subsolo, é possível chegar até a movimentada Pitt Street, um calçadão com diversas marcas de grife e também aonde está localizado o shopping Westfield Sydney. Entrando pelo shopping é possível visitar a Sydney Tower Eye, para os que querem ver a cidade nas alturas. Informações: www.sydneytowereye.com.au


3. DARLING HARBOUR

Ponto de desembarque: Darling Harbour Wharf

Além da Opera House, outro ponto de destaque é a Darling Harbour. Existe diversas formas de chegar até aqui, mas a mais prática é pegar o ferry boat na Circular Quay e desembarcar na Darling Harbour Wharf.

Esta área foi revitalizada no período em que Sydney foi sede das olimpíadas, em 2000. E realmente o espaço ficou muito bem organizado, sendo uma das áreas mais bonitas principalmente à noite. Aqui as pessoas circulam sob um grande deck e sentam para tomar um sorvete enquanto admiram o cenário. Apesar dos restaurantes serem caros, aconselho reservar um jantar para apreciar a vista.

Daqui é possível fazer passeios de barcos com jantar incluso, assistir a eventos que regularmente acontece e visitar as diversas atrações como Sydney Aquarium, Madame Tussauds, Sydney Zoo e o Australia National Maritime Museum. Fica a dica como extensões do passeio.

DICA: todos os sábados à noite é exibida uma queima de fogos na Harbour, portanto marque na sua agenda.


4. BONDI BEACH & MANLY BEACH

Finalmente vamos falar do que a maioria dos brasileiros gostam: as famosas praias de Sydney. Bondi é pequena, mas é mais próxima da parte central da cidade. Basta pegar um ônibus partindo da CBD ou Central Station e você estará lá. Além da praia, o excêntrico clube com a piscina à beira mar é famosíssimo. Seguindo à direita, aproveite para esticar o passeio e fazer a badalada caminhada pela Bondi to Bronte Coastal Walk.

Manly, por sua vez, fica mais afastada, mas é a maior praia em extensão. Para chegar pegue um ferry boat na Circular Quay até Manly Wharf.

Mas é claro que Sydney não se resume apenas a duas praias. Dê uma passadinha para conferir Coogee, Dee Why, dentre tantas outras que a cidade oferece.


5. PONTOS TURÍSTICOS DISTANTES

Aqui estão outros pontos interessantes, mas adequados para aqueles que irão ficar mais tempo na cidade. A contratação de um tour turístico seria aconselhável para os que estão inseguros em fazer por conta, devido à distância desses locais. Todos têm trajetos extensos que acabam levando o dia todo para realizar.

  • Blue Mountains: muitos que chegam até a Sydney querem conhecer as famosas montanhas. Particularmente o local não me atraiu muito, mas para os amantes de natureza e trilhas é interessante. Ainda é possível fazer um passeio de bonde entre as montanhas e tirar fotos de um ângulo incrível.

  1. Partindo da Central Station, pegue o trem com destino a estação Katooba;

  2. Perto da estação Katoomba há um ônibus que vai até o mirante. Pergunte sobre o ônibus ou apenas siga o fluxo. Não esqueça de levar o Opal Card.

  • Morisset Park: a vantagem desse parque é a possibilidade de ver de perto e fazer um agrado nos nossos amiguinhos cangurus, afinal de contas é um local aberto e não é preciso pagar nenhuma taxa para vê-los. Se quiser alimentá-los, leve alimentos naturais como frutas. Não esqueça das bananas, eles adoram!!!

  1. Partindo da Central Station, pegue o trem com destino a estação Morisset;

  2. Saindo da estação há vans que levam até o parque. É só pagar a tarifa e embarcar.

  • Port Stephens e arredores: fiz a contratação de um pacote turístico que engloba visitar os golfinhos, escorregar nas dunas, montar em camelos e degustar vinhos em uma fazenda produtora de uvas. Um passeio que vale a pena e pode ser facilmente contratado nas diversas agências espalhadas pela cidade.

  • Wedding Cake Rock: aconselhável apenas para os aventureiros, é o passeio mais extenso e cansativo de todos. Não esqueça de levar água e frutas para recompor as energias. Basicamente é uma formação rochosa que se assemelha a um pedaço de bolo de casamento.

  1. Partindo da Central Station, pegue um trem até Cronulla Station;

  2. Saindo da Cronulla Station, caminhe até a Cronulla Wharf para pegar o ferry boat com destino a Bundeena Wharf.

  3. Após sair do barco, pegue um ônibus até a entrada do Royal National Park. O caminho pode ser feito a pé, mas aconselho guardar energias!

  4. Chegando ao Royal National Park caminhe pela trilha metálica até chegar a Wedding Cake Rock.


Bom pessoal, esse foi um resumão com dicas sobre essa cidade que conquistou um espaço em meu coração. Espero que tenha ajudado nas dicas e boa viagem a todos!


Quer contribuir com o Malão? Deixe um comentário pra gente ou mande um direct no nosso instagram =)

#Austrália #Sidney #Canberra #OpalCard #ThaiTown #ChinaTown #OPERAHOUSE #HARBOURBRIDGE #CircularQuay #RoyalBotanicGardens #FreeWalkingTour #TheRocks #HarbourBridge #SYDNEYTOWNHALL #CBDAREA #QueenVictoriaBuildingQVB #DarlingHarbour #BONDIBEACH #MANLYBEACH #BlueMountains #MorissetPark #WeddingCakeRock

0 visualização