BARCELONA: E algumas coisas que ninguém te conta


De todas as cidades que visitei nessa última viagem, Barcelona me deixou com a sensação de cai em várias roubadas, que eu poderia ter evitado. Não sei se fui com muita expectativa, ou se faltou um pouco mais de pesquisa, mas seguem algumas dicas do que NÃO fazer, principalmente no alto verão.

NÃO PESQUISAR OS HORÁRIOS DA FONTE DO "PARC DE LA CIUTADELLA"

Fiquei hospedada em um Hostel no bairro El Born , que era justamente a uma quadra do parque, então qual foi meu primeiro passeio na cidade? Ver a fonte! Pelas fotos ela realmente parecia linda, mas pra minha decepção ela estava desligada, e a expectativa x realidade foi muito decepcionante.

Não tinha feito uma pesquisa prévia dos horários, porque nem passou pela minha cabeça que as 09:30 da manhã de uma terça-feira a fonte poderia estar desligada. Além de desligada, tive uma leve sensação de abandona, plantas enormes, água verde, muitas rachaduras. #ficaadica: Horários da Fonte

DAR MOLE COM A CARTEIRA

Geralmente quando viajo acabo andando de mochila e como estava na Europa fiquei um tanto relaxada com isso, sem me preocupar em colocar ela pra frente, como costumo fazer aqui. Não, não fui assaltada, mas em praticamente todos os lugares que estive na cidade algum local sempre vinha me avisar pra tomar cuidado com a mochila, infelizmente a cidade é bem famosa pelos casos de mão leve.

CAMELAR ENTRE 12h E 17h

É meio difícil seguir essa recomendação, ainda mais com pouco tempo na cidade e com muita coisa pra ver, mas acredite, o calor é realmente de matar, e não há leque, protetor solar ou chapéu que resolvam. No verão o sol vai até as dez da noite, então não precisa se afobar, aproveite essas horas pra visitar algum museu, ver umas lojinhas ou mesmo almoçar né?

PEGAR PRAIA EM BARCELONETA

Como me faltava tempo pra conhecer outras praias, decidi no meu último dia ir bem cedo pra Barceloneta e relaxar. A praia é bonita, e super perto do metrô, também era perto de onde eu estava hospedada. Cheguei lá pelas 09:30, e foi bem tranquilo, a praia estava vazia, a água quentinha, tudo ok, quando decidi tirar um cochilinho na areia e fui acordada por um aviso sonoro que dizia pra tomar cuidado com seus pertences. Quando abri o olho tomei um susto, a praia estava mais cheia do que Praia Grande em véspera de Ano Novo! Fora a farofa, sim farofa, não sei porque, mas vi muita gente em Barcelona andando pra lá e pra ca com suas malas, turistando mesmo. E claro que na praia não foi diferente. Não, não é coisa de mochileiro, vi famílias inteiras abrirem malas no meio da praia, se trocarem, dormirem e acamparem, achei estranho. Portanto a dica é, se tiver um tempo a mais procure outras praias, eu queria muito conhecer a Costa Brava, mas infelizmente não tive tempo.

ENTRAR NA SAGRADA FAMÍLIA

Graças a Deus tenho uma amiga que morou 10 anos na cidade e já me disse de cara que entrar na Sagrada Família não valia tempo e muito menos dinheiro, detalhe, você terá que desembolsar pelo menos 18 euros pra entrar, fora toda a fila naquele sol de rachar, e convenhamos, a melhor parte está realmente do lado de fora, assim você gasta suas horas fazendo algo melhor do que olhar andaime.

ACHAR QUE O PARQUE GUELL SÓ TEM GAUDÍ

Antes de mais nada, compre seu ingresso com antecedência pelo site do parque, assim você evita filas e não perde tempo, porque os ingressos vêm com hora marcada. Nessa parte eu também fui espertinha e segui essa dica, mas minha cagada foi no dia de ir para o parque. Entrei no google maps, digitei Park Guell e segui as instruções, até ai nada demais né? O que ninguém me falou é que o parque é gigante, tem várias entradas e inclusive tem uma parte que pode ser visitada de graça. Descemos do ônibus, seguimos por uma ruazinha bem estranha e chegamos no parque, numa parte que não dava em lugar nenhum, ficamos ali perdidas tentando entender onde estavam as esculturas de Gaudí, até que uma alma caridosa nos disse que tínhamos que descer uma escadaria pra cair em uma das entradas que davam acesso a essa parte. Então antes de sair, pesquise direitinho o portão certo da entrada.

SHORTINHO E BLUSINHA DENTRO DA IGREJA? NEM PENSAR!

Você está em Barcelona, naquele calor absurdo, o que você esta vestidinho? Provavelmente shorts, regata ou um vestidinho, ai você resolve dar uma volta no bairro gótico e se depara com uma igreja bem antiga, chega todo feliz pra entrar, e? Barrado! Pois é, não estamos na Tailândia mas isso acontece, e não vá achando que da pra driblar o aviso, porque em cada porta fica um segurança fiscalizando. Mas calma, não são em todas as igrejas, na verdade só passei por isso em uma, mas só por garantia, saia com um lenço bem grande na bolsa, assim pelo menos da pra improvisar uma saia.

TELEFÉRICO MONTEJUIC

O Parc de Montjuïc é a maior área verde da cidade e lá você pode encontrar diversas atrações como o Museu Nacional d’Art de Catalunya (MNCA), a Fundació Juan Miró, o Castell de Montjuïc, a Font Mágica, o Jardí Botànic e o Estadi Olimpic. Pra chegar lá há duas opções, pegar um teleférico que sai da praia de Barceloneta ou ir de funicular, achamos mais legal pegar o teleférico, que custa € 9, ida e volta.

O triste foi esperar mais de 1h na fila, mas ok, a vista compensa, o que nós não sabíamos era o tamanho do parque Montejuic, sério, tire pelo menos meio dia pra visitar e vá cedo, porque o teleférico encerra as 18:00. Chegamos lá em cima e começamos a andar, descobrimos uma parte do Estádio Olímpico, onde era possível ver as piscinas de salto ornamental. O que mais queríamos ver era o castelo e foi triste descobrir que tinha mais um teleférico. Ou seja, tínhamos que desembolsar mais alguns euros e o tempo era curto, conclusão, nada de Castelo Montejuic pra gente.

#ficaadica: Suba de funicular ou ônibus, sua carteira agradece!




Quer contribuir com o Malão? Deixe um comentário pra gente ou mande um direct no nosso instagram =)


#BARCELONA #PARCDELACIUTADELLA #ElBorn #BARCELONETA #CostaBrava #SAGRADAFAMÍLIA #MuseuNacionaldArtdeCatalunyaMNCA #FundacióJuanMiró #CastelldeMontjuïc #FontMágica #ardíBotànic #EstadiOlimpic

13 visualizações